quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Carrinho ou carroça

Não sei do que se trata... está, desde que me lembro, no espaço onde ensaio, em Belém.
Se alguém conseguir identificar, agradeço!






quarta-feira, 22 de junho de 2011

Estava ao piano, a ouvir uma guitarra, quase quase a partir-se contra o chão

Não tenho jeito para escrever coisas bonitas vindas do nada. Há pessoas que têm isso dentro delas, essa capacidade de embelezar tudo com palavras simples, de dar cheiros e texturas às coisas mais voláteis, de nos fazer sentir o vento e a terra só com a feliz junção de algumas letras.
Eu não, ou são poucos os dias em que isso acontece (ou em que sequer tento). E como tal fico-me com as imagens, que também não têm sido muitas.
Cara de lixada com a vida? Naaa... sou só eu

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Pj Harvey e Montemor-o-novo

...e o que é que Montemor tem que ver com a PJ, perguntam vocês... Nada! Mas eu tenho a ver com os dois. Há muito tempo que não ia a um concerto, sem ser de bandas amigas, claro, e este soube-me especialmente bem, mesmo tendo que vir à pressa de Montemor e sair à pressa pra voltar!





terça-feira, 31 de maio de 2011

terça-feira, 12 de abril de 2011

Sardinha pia abaixo!

Concorri com esta sardinha para o concurso das festas de lisboa. Não ganhei nada, a não ser uma ilustração acabada!
A primeira só a caneta, a 2ª pintada em photoshop.
Há um mafioso no meio...!

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Hibisco

Ando de volta desta Hibisco. Não sei que espécie é... Mas amanhã tem que estar pronta!


Entretanto já as vejo a dobrar! É o mal de deixar tudo para a última da hora...típico!


terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Duas gajas, 60 desenhos

Uma exposição que espera há anos por este dia!
Deixo-vos o texto de apresentação da mesma.

"Era uma vez duas gajas que se fizeram amigas no curso de escultura da Faculdade de Belas Artes. Um belo dia, num café, entre uma tosta, um copo de leite e um filho da mãe, uma delas desenhou algo no caderno da outra e a partir daí surgiu a ideia: “e se desenhássemos à vez, em cadernos iguais? Todos os dias desenhamos e todos os dias trocamos de caderno. Assim cada caderno tem desenhos das duas!” E assim foi. Houve desenhos a nascer de conversas entre amigos, outros a nascer de músicas ouvidas na rádio, de almoços e de lanches, de conversas de autocarro e claro, houve desenhos a nascer de desenhos"