sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

momentos (curtinhos) de lucidez

Tenho uns textinhos para pôr aqui há uns bons meses. Visto que não tenho desenhos novos, decidi pôr então um desses textos - o mais recente deles - que é de Julho deste ano.


Qualquer pretexto é válido para trabalhar. O resultado desse pretexto é diferente de artista para artista e é aí que se distinguem uns dos outros, no resultado final. Alguns artistas dão mais importância ao pretexto que ao processo e finalização da obra, mas o que fica é isto. A ideia é só uma ideia. É importante para quem a tem, mas não sendo uma descoberta, o que ela tem de interessante é o caminho por onde nos leva e o sítio a que chegamos. Se esse sítio não nos agrada e se o precurso não nos mostrou mais do que os prédios cinzentos a que estamos habituados, talvez não tenhamos cumprido o nosso objectivo...
Para que as palavras não ocupem o lugar da forma, da imagem, há que dar importância a estas e deixar que cumpram a sua função, que é a de fazer as pessoas sentir.
A arte pode ou não ter um papel de "intervenção", de crítica, de chamada de atenção, mas a verdade é que quem vai às exposições, quem consome arte está alerta para estas questões, e quem precisa de ser alertado não tem acesso (no sentido em que essa educação não lhe foi dada, ou o interesse não foi estimulado). Então acaba por se fazer uma exibição de "sabedoria", ou um enfeite do senso comum e com essas palavras embeleza-se a arte.
O conceito pode e deve estar lá, mas não tem que ser explicado minuciosamente e não tem que ser/parecer filosofia. É arte.
Os sentidos devem estar alerta. E o que nos faz "sentir" também nos faz "pensar".

7 comentários:

joana vieira disse...

opa... *.*

Andam uma carrada de homens velhos lá na fbaul a tentar explicar-nos o que é a arte, e aparece esta menina, que em 3 linhas torna tudo simples (e bonito)
:)

beijinho!

Hélio disse...

Afinal sempre concordas comigo no que à arte diz respeito.:)
Beijinho!

iNuno disse...

ARTE deveria ser tudo aquilo que a vida é, mas mais ainda, aquilo que não é; um passo de mágica na ilusão de que existe uma verdadeira liberdade.

Na minha non-artista opinião, é claro.

josé louro disse...

Arte é muito trabalho!
Abraço.

João PM disse...

Gostei muito do texto. Virei cá mais vezes. =)

Nena disse...

eu gosto muito da tua lucidez! Descoberta de fim de ano.

Beijos grandes carregados de boas coisas para ir usando durante o ano novo.

Anónimo disse...

Arte é ficar deslumbrado e conseguir deslumbrar os outros...com o que quer que seja!