quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Composições para Sebastião

Nunca fui muito dada à ilustração infantil, talvez por me ser difícil a representação humana em modo boneco, e assim que me propus fazê-lo senti um arrepio na espinha.
Fosse pela proximidade ou por conhecer os gostos artísticos dos pais do referido Sebastião, seria difícil não os desapontar. Mais fácil será agradar o próprio Sebastião, que, assim que passar as suas primeiras horas no seu novo quarto, assumirá aquele como o seu novo mundo, tenha ele ou não uns desenhos na parede.
É a primeira vez que estou a fazer ilustrações para um quarto de uma criança, e percebo agora que se trata da nossa ideia de conforto, da ideia que fomos construindo, e que nos ajudaram a construir, até chegarmos a pais. Não se trata da ideia de conforto do recém-nascido, que só agora começa a construir imagens na sua cabeça, caso contrário pintaríamos o quarto de preto, ou vermelho escuro, ou o que quer que se pareça com o interior de uma barriga materna, onde se acomodou nos últimos nove meses.
Espero que o Sebastião não se assuste com um bando de animais selvagens a cair de pára-quedas no seu novo quarto! É o modo querido que temos de lhe dizer que vivemos numa selva, e que a selvajaria dos animais é capaz de ser mais justa que a nossa....
(E assim me escapei à representação humana!)

1 comentário:

Nena Metelo disse...

Tens muita razão no que escreves, Cláudia. Eu quando era pequena tinha no quarto um poster que a minha mãe adorava...mas para mim era o terror personificado!!! Eu tinha tanto medo dele que nem conseguia explicar-lhe o efeito do poster em mim.
Hoje em dia percebo perfeitamente a adoração da minha mãe ao dito, realmente é lindíssimo...mas enquanto criança foi aterrorizante. É preciso ter cuidado com a arte que se dá às criancinhas :)

PS - o teu desenho é lindo, não tem absolutamente nada a ver com a imagem que me assustava.
Beijinhos, muito sucesso!!